O visionário na janela.

5 02 2008

Por que eu olho pela janela? Talvez seja apenas para apreciar o céu limpo e o dia bonito, talvez seja para preencher algum vazio que me toma subitamente, talvez para pensar na vida ou talvez porque pareça ser uma boa idéia. Nem eu sei a resposta para essa pergunta, só sei que às vezes é simplesmente irresistível parar e sentar no parapeito da janela, ignorando a altura para ter uma visão que apesar de ser sempre presente, dificilmente é notada. O pensamento que vem a minha mente enquanto o vento bate no meu rosto é basicamente um e nesse post eu vou divagar sobre: “Como o mundo é grande, o que será que aquelas pessoas estão fazendo nesse dia tão bonito? O que será que alguém está fazendo agora em GO? Ou em DF? Ou quem sabe na Suíça? Ou nos Emirados Árabes Unidos?”.

Quando essas perguntas são feitas para mim mesmo pelo meu subconsciente eu me deparo com a minha insignificância diante da imensidão do mundo. Esse pensamento inicial dura apenas algum tempo e eu começo a divagar sobre a minha importância no mundo. Deveria eu ser apenas mais alguém tentando ser alguém na vida? Ou deveria eu tentar atingir cada pessoa que respira o mesmo ar que eu respiro (claro que isso é de respirar o mesmo ar é apenas algo literário)? Será que um dia eu posso ser grande?

Deparando-me com essas perguntas eu chego a seguinte conclusão: “Vale a pena tentar”.

Todas as vezes que eu olho pela minha janela eu chego a conclusão de que eu posso ser melhor. De que eu posso fazer algo monumental, pois a minha natureza humana permite coisas magníficas. Claro que também preciso de oportunidades para fazer isso, mas o ponto fundamental é: Eu não terei medo de tentar.

Medo : do Lat. metu

s. m.,   

terror;

            receio;

            susto;

loc. adv.,

            a -: com receio.

Todos têm medos. Você pode ter de altura, por que não? Eu tenho medo de lagartixa, quem se importa? Mas medo de ser grande? Medo de cair? Devo dizer que todos nós devemos deixar esses medos, olhar para as nossas janelas e pensar: Eu posso fazer algo por todos lá fora. Eu posso ser grande!

Agora eu tenho uma pergunta pra vocês, caros leitores, vocês deixariam seus medos de lado ou apenas seguiriam no medíocre anseio de ser apenas mais um? Devo dizer apenas que a indiferença é o resultado do apodrecimento de nosso mundo e conseqüentemente das pessoas que aqui vivem.


Ações

Information

2 responses

7 02 2008
Lari

E quando é medo é de se destacar? De ser importante e corresponder às expectativas que recebe alguém de destaque? É cômodo sermos apenas mais um…😉

8 02 2008
carol

Qnd eu olho pra janela aqui só vejo poluição haheuaueha!! tudo bem, tirando o cinza do céu… a q se dane, toda vez q eu olho pela janela e vejo aquela porcaria de massa acinzentada bloqueando a minha visão da beleza do mundo e q a vida é mais valiosa do q parece, me revolto pelo homem ser mais podre do que aparenta ser… onde já se viu criar uma redoma de interesses e que a porra do mundo se exploda, daí abro uma brecha pra reclamar da política e aquela força da vontade de mudar tudo, logo o medo de se destacar se desvanece, cada um pode fazer a diferença, é só lembrar que o mundo tbm é ‘pragente’ e pronto já me imagino Che Guevara😄

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: