Encaçapar!

4 08 2008

Você já parou pra imaginar que a sua vida pode ser comparada a um simples jogo de sinuca na modalidade bola 8?

É incrível como podemos nos colocar nas mais diferentes jogadas, considerando que existem diversos ângulos que tornam cada movimento imprevisível e inimitável.

Vamos colocar aqui algumas constantes: Obviamente a mesa de sinuca seria o Universo/vida , o cara com o taco seria Deus/Destino/Casualidade, o taco seria as nossas ações e a bola branca seria todas as situações que passamos. Nunca podemos esquecer a Sorte que representa ela mesma. Veja bem, o mais interessante é que nós poderíamos ser comparados as bolas restantes, inclusive a bola 8.

Podemos até pesar tudo e tentar descobrir se Deus/Destino/Casualidade é um jogador habilidoso ou se nossas próprias ações estão de acordo com a derrubada das bolas.

Agora chegamos a uma parte bem interessante: As variáveis.

O jogo em si poderia ser um momento, a vida inteira ou até um local. As caçapas podem ser um objetivo ou a morte. E agora as bolas: nós!

Nós podemos ser qualquer bola. Você pode ser a bola 1 que é a primeira a ser derrubada quando alguém erra. Você pode ser a bola 8, não participa efetivamente do jogo ou fica quietinho em um canto, teima em acertar a caçapa, mas quando acerta é a alegria da galera.

Eu particularmente me identifiquei com a bola 4 em um jogo. Nessa ocasião a bola ricochetou nos quatro cantos da mesa e acabou parando exatamente no mesmo lugar. Existem situações que eu me identifico com a bola 5 que estava encostada na 3 e precisou empurrá-la para que ela pudesse acertar a caçapa.

Enfim, as bolas fornecem inúmeras possibilidades…

Temos também outros elementos como por exemplo a ficha que é o que inicia o jogo e pode ser uma pessoa ou otras coisas mais. Temos o giz que ajuda na tacada mas que não garante nada. Temos o triângulo que é o que ajeita as bolas.

Note que um jogo não tem uma bola só. Você nunca está sozinho em um jogo, sempre vai ter gente querendo ser encaçapada antes e tentando roubar o seu lugar no buraco.

Agora podemos pensar: por que Deus/Destino/Casualidade seria o jogador?

Porque alguém precisa segurar o taco e iniciar a jogada, mesmo que seja só a Casualidade.

O taco são nossas ações porque a angulação dele poderia mudar totalmente o rumo do jogo.

A bola branca são as situações. Ela pode parar em qualquer lugar e mudar totalmente a sua jogada planejada. Dependendo a posição ela pode deixar realmente fácil de encaçapar uma bola.

As jogadas são as mais diversas, podendo acertar até duas bolas ao mesmo tempo.

As vezes podemos tentar acertar uma caçapa (objetivo) e acabamos acertando outra do lado contrário da mesa. As vezes isso é uma coisa extraordinária. Todas as vezes é uma coisa maravilhosa…


Ações

Information

One response

20 08 2008
Fellipe L.

Concordo com o moço de cima…
O Destino é tão filho da mãe que é diferente de um jogador.
Um jogador faz o possível e o impossível para ganhar. Ou seja, encaçapar e atingir objetivos. Enquanto o destino, ele brinca com a gente.
Ele nos dá e nos tira.
O tempo todo assim.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: